Posts tagged ‘Jornalismo’

Em Curitiba, jovem se livra de assalto dizendo: “Você está em meu orkut”

O filósofo canadense Marshall McLuhan foi um teórico da comunicação social. Ele é estudado especialmente nas faculdades de jornalismo. As duas principais ideias deixadas por ele são as de que o meio e mensagem são a mesma coisa; e a questão da aldeia global. Em resumo, a tal aldeia quer dizer que as pessoas de todo o mundo poderiam se comunicar umas com as outras. Mas isto foi na década de 60, quando apenas a televisão começava a funcionar via satélite.

Hoje, com a internet, as ideias de McLuhan parecem se realizar. E vai ficando cada vez mais difícil separar a vida que está dentro do computador, do celular, da que está fora, na rua, no trabalho.

 

Ellida, semana passada, em foto publicada na internet

Ellida Fernandes nasceu em Arapiraca, no agreste de Alagoas. Mudou-se com a família para Curitiba há dois anos e nove meses. Trabalha de secretária. Outro dia, a caminho da casa do namorado, à tarde, estava na rua Alferes Poli, no bairro Rebouças. De longe viu um rapaz e teve a impressão de que o conhecia, mas ficou na dúvida. Ao se aproximarem, ele anunciou o assalto.

A menina resistiu bravamente. Olhou e disse “eu conheço você”. Ele duvidou. Ellida não se deu por vencida. Soltou: “Você está no meu Orkut”. A palavra parece ter chamado a atenção do bandido, que mudou rapidinho a conversa. Passou a pedir desculpas.

No fim, o assaltante ofereceu uma carona para ela. Ele estava de bicicleta. Ela não aceitou. Tinha ficado magoada.

A história de Ellida é bem diferente da história de Andre Luis Andrade. Aos 28 anos, é casado há um ano com Fabiane Martini de Andrade. Era uma vez, no Orkut, uma comunidade com algum tema de Curitiba. Então eles se encontraram por lá. Ela decidiu convidá-lo para a festa de formatura.

Do convite até a festa, levou uma semana. No dia da festa começaram a namorar. Então casaram três anos depois e têm planos para o primeiro filho.

O contato da reportagem com Ellida e Andre foi feito pela internet.

Direto do http://blog.cbncuritiba.com.br

Anúncios

19 de outubro de 2010 at 10:00 Deixe um comentário

EXTRA ! CCJ da Câmara aprova diploma para jornalista

Jornal O Globo


A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara aprovou nesta quarta-feira a proposta de emenda à Constituição PEC 386/2009 que exige o diploma de curso superior em jornalismo para o exercício da profissão.

De acordo com o relator, deputado Maurício Rands (PT-PE) a proposta é admissível em termos constitucionais porque não interfere nas cláusulas invioláveis da Carta.

“Concordo com os autores das propostas em exame que não vislumbram na obrigatoriedade de diploma de jornalista ofensa aos princípios constitucionais”, diz o relatório.

A proposta de alteração à Constituição, segundo o deputado, não revoga o direito dos jornalistas que já obtiveram registro profissional, em caráter liminar, referente à ação civil pública que tratou do assunto e cujo mérito foi decidido pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Fonte:  Blog do Noblat

 

Jornal A Tarde Online


CCJ aprova PEC que restabelece exigência de diploma para jornalista

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara de Deputados aprovou na manhã desta quarta-feira a proposta de emenda constitucional (PEC) que restabelece a exigência de graduação de nível superior para o exercício da profissão de jornalista. A proposta, de autoria do deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS), teve única manifestação contrária do PSDB. O baiano José Carlos Aleluia (DEM), que já havia se manifestado pela rejeição da PEC e é membro da CCJ, não estava no plenário no momento da votação.

“A aprovação da PEC na CCJ significa um atestado de constitucionalidade da exigência do diploma”, comemorou o presidente da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), Sérgio Murilo, que está no Congresso acompanhando a PEC e seguiu imediatamente para a CCJ do Senado para convencer seus membros da importância da aprovação da proposta naquela Casa. “A vitória de hoje é essencial para o seguimento da luta de defesa da regulamentação da profissão, e uma demonstração de que não há contradição entre a formação profissional e a liberdade de expressão e opinião”.

Paulo Pimenta, autor da proposta, observou que houve um “equívoco conceitual” quando o Supremo Tribunal Federal (STF) colocou num mesmo patamar a liberdade de expressão e o exercício da atividade profissional de jornalista. “O STF tratou a atividade profissional como se fosse mera divisão da liberdade de opinião, desconhecendo o trabalho de mediador da sociedade exercido pelo profissional – que não é um cronista”, disse, acrescentando que os jornais de todo o país garantem espaçco para que colaboradores não-jornalistas expressem sua opinião.

De acordo com a Fenaj, estima-se que, anualmente, sejam graduados de sete a oito mil novos jornalistas nas cerca de 400 faculdades de jornalismo existentes no país. Atuam no Brasil 60 mil jornalistas, a maior parte diplomados, de acordo com a entidade.

Fonte: http://www.atarde.com.br/brasil/noticia.jsf?id=1277126

Por Eudes Sampaio

11 de novembro de 2009 at 12:16 Deixe um comentário


Visitantes

  • 22,305 Visitantes

Agenda

outubro 2017
D S T Q Q S S
« dez    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

Seja nosso seguidor no Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Siga Eudes Sampaio no Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Siga João Barbosa no Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Tópicos recentes

Mais Acessados

  • Nenhum

Feeds

Arquivos

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 1 outro seguidor

free counters